quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Imprensa gaúcha

Jornais repercutem projeto de Carlos Gomes que 
desobriga uso de farda por PMs no ônibus


Deputado propõe projeto de lei


O deputado estadual Carlos Gomes (PRB) protocolou na Assembleia, na última segunda-feira, o projeto de lei 210/2014, que desobriga os policiais militares a usarem farda para terem acesso à gratuidade de passagens de ônibus em viagens intermunicipais. A proposta já havia sido protocolada em 2007 no Legislativo estadual pelo deputado Marquinho Lang, mas acabou arquivada. O PL 210/2014 estabelece que as empresas de ônibus permissionárias de linhas intermunicipais cedam duas passagens por coletivo para os policiais militares. 


Nota publicada na edição de 23 de outubro do jornal Correio do Povo
Editoria: Polícia, página 20





Projeto da farda, na Assembleia


Com abrangência estadual, o deputado estadual Carlos Gomes (PRB) protocolou na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei 210/2014, que desobriga policiais do uso de farda da Brigada Militar para ter acesso à gratuidade de passagens de ônibus em viagens intermunicipais no Rio Grande do Sul. Carlos Gomes lembrou o soldado Marcio Ricardo Ribeiro, de 42 anos, em Porto Alegre, morto quando, fardado, utilizava um ônibus. 


Nota publicada na edição de 23 de outubro de 2014 do jornal O Sul
Coluna do Flávio Pereira - Caderno Colunistas, página 4



Projeto de deputado desobriga uso de farda por PMs no ônibus

Porto Alegre - O deputado estadual Carlos Gomes (PRB) protocolou na Assembleia Legislativa projeto que desobriga policiais do uso de farda da Brigada Militar para ter acesso à gratuidade de passagens de ônibus em viagens intermunicipais no Rio Grande do Sul. Segundo o parlamentar, o objetivo é preservar a vida dos trabalhadores.
Ao fazer uso da Tribuna na sessão de ontem, Carlos Gomes lembrou a morte do soldado Marcio Ricardo Ribeiro, de 42 anos, em Porto Alegre, semana passada. O policial, que usava uniforme da corporação, foi baleado por um assaltante. 

Matéria publicada na edição de 22 de outubro de 2014 do Jornal NH
Editoria: Política, página 7





Projeto desobriga farda para PMs no ônibus

O deputado estadual Carlos Gomes (PRB) protocolou na Assembleia Legislativa gaúcha na última segunda-feira (20) o projeto de lei 210/2014, que desobriga policiais do uso de farda da Brigada Militar para ter acesso à gratuidade de passagens de ônibus em viagens intermunicipais no Rio Grande do Sul. Segundo o parlamentar, o objetivo é preservar a vida dos trabalhadores. Ao fazer uso da tribuna na sessão plenária desta terça-feira (21), Carlos Gomes lembrou a morte do soldado Marcio Ricardo Ribeiro, de 42 anos, em Porto Alegre. 

O policial, que usava uniforme da corporação, foi baleado por um assaltante com onze disparos na última quinta-feira (16). “O uso da farda faz com que os policiais deixem de ser o elemento surpresa dentro do ônibus, além de expor o trabalhador e colocar em risco a segurança dos outros passageiros”, observou. 

A proposta já havia sido protocolada em 2007 no Legislativo estadual pelo deputado Marquinho Lang, mas acabou arquivada. O PL 210/2014 estabelece que as empresas de ônibus permissionárias de linhas intermunicipais cedam duas passagens por coletivo para os policiais militares. O projeto altera a Lei 9.823, de 22 de janeiro de 1993. A matéria deverá ser apreciado pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa nas próximas semanas. 

Matéria publicada na edição de 23 de outubro do jornal Bom Dia, de Erechim
Editoria: Segurança, página 9




‘Um crime que afronta à cidadania’

Representantes dos manifestantes foram recebidos pelo subprocurador- geral de Justiça para Assuntos Institucionais do Ministério Público, Marcelo Lemos Dornelles, ao final do ato, na manhã de ontem. Eles apresentaram uma pauta de reivindicações, que foi acolhida pelo MP. “Vocês têm a nossa solidariedade pela morte do soldado”, disse Dornelles. “Entendemos que é um crime contra o Estado e uma afronta à cidadania”, ressaltou o procurador. 

Ele disse que o Ministério Público defende a criação de um qualificador para crimes de homicídios contra agentes de segurança e de Justiça. Segundo ele, já existem projetos tramitando no Congresso Nacional relacionados ao assunto. Dornelles garantiu que o MP deve se informar sobre a matéria. “É uma legislação federal e há necessidade de alteração do Código Penal”, explicou o subprocurador.

O presidente da Associação Beneficente Antônio Mendes Filho (Abamf), Leonel Lucas, buscará apoio para que os PMs possam andar nos ônibus, sem a necessidade do uso da farda. Na Capital, o vereador Cássio Trogildo protocolou projeto para que PMs de nível médio e guardas municipais usem o ônibus gratuitamente, sem farda. 

O vereador Valdir Canal apresentou, na Câmara, moção de solidariedade aos servidores da Brigada Militar e instituições afins pela mobilização. Na Assembleia, o deputado Carlos Gomes protocolou ontem um projeto, em âmbito estadual, para que os policiais militares não precisem usar farda nos ônibus interestaduais.

Matéria publicada na edição de 21 de outubro do Correio do Povo
Editoria: Polícia, página 19

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Segurança Pública

Projeto de Carlos Gomes desobriga
farda para PMs no ônibus

Para o parlamentar, uso da farda põe em risco a vida dos brigadianos

O deputado estadual Carlos Gomes (PRB) protocolou na Assembleia Legislativa gaúcha na última segunda-feira (20) o projeto de lei 210/2014, que desobriga policiais do uso de farda da Brigada Militar para ter acesso à gratuidade de passagens de ônibus em viagens intermunicipais no Rio Grande do Sul.

Segundo o parlamentar, o objetivo é preservar a vida dos trabalhadores. Ao fazer uso da tribuna na sessão plenária desta terça-feira (21), Carlos Gomes lembrou a morte do soldado Marcio Ricardo Ribeiro, de 42 anos, em Porto Alegre. O policial, que usava uniforme da corporação, foi baleado por um assaltante com onze disparos na última quinta-feira (16). “O uso da farda faz com que os policiais deixem de ser o elemento surpresa dentro do ônibus, além de expor o trabalhador e colocar em risco a segurança dos outros passageiros”, observou.


A proposta já havia sido protocolada em 2007 no Legislativo estadual pelo deputado Marquinho Lang, mas acabou arquivada. O PL 210/2014 estabelece que as empresas de ônibus permissionárias de linhas intermunicipais cedam duas passagens por coletivo para os policiais militares. O projeto altera a Lei 9.823, de 22 de janeiro de 1993. A matéria deverá ser apreciado pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa nas próximas semanas.

Por: Jorn. Jorge Fuentes (16063) - Assembleia Legislativa
Foto: Marcelo Bertani - Ag. ALRS

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Gabinete


Hoje recebi funcionários do Banrisul que reivindicam a implementação de um plano de carreira, reajuste salarial, mais segurança e melhor atendimento à sociedade. Os trabalhadores solicitaram o nosso apoio para retomar as negociações com a direção da instituição bancária e pôr fim à greve, que dura 21 dias.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Caminhada com Sartori



#SartorãodaMassa #Sartori15 #SartoriGovernador

Carlos Gomes e a militância do PRB participaram de caminhada com o governador José Ivo Sartori (PDMB) nesta quarta-feira (15), no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre.



Audiência Pública

Parlamentares, governos e sociedade 
debatem as dificuldades de quem sofre com doenças raras

Carlos Gomes coordenou encontro na Comissão de Saúde e Meio Ambiente
da Assembleia Legislativa gaúcha

A Comissão de Saúde e Meio Ambiente debateu a problemática enfrentada por pessoas portadoras de doenças raras e seus familiares e a realidade dos portadores da doença de Fabry, seus direitos, formas de tratamento e perspectivas. A atividade aconteceu no Plenarinho da Assembleia, na manhã desta quarta-feira (15). A audiência pública foi proposta a partir dos requerimentos dos deputados Miki Breier (PSB) e Gilberto Capoani (PMDB).

O deputado Carlos Gomes (PRB), que coordenou a mesa, anunciou que um documento sobre a audiência pública será encaminhado para a Secretaria Estadual e para o Ministério da Saúde. O objetivo é agilizar as questões apresentadas durante o debate. Ele reconheceu os avanços que estão sendo realizados nos investimentos dos recursos para a saúde no âmbito estadual e defendeu que o governo federal destine 10% do orçamento para a saúde.

Miki destacou, como encaminhamento, que o debate terá continuidade por meio de um grupo de trabalho, que dará atenção especial ao acompanhamento da implementação da Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras no estado. Também deve ser realizado um trabalho integrado com as secretarias estaduais de Educação e Direitos Humanos. O deputado salientou ainda, a importância dos centros de referência para o atendimento dos pacientes.

“A doença é rara até que ela chega à nossa casa, mudando nossas vidas”, observou o deputado Ronaldo Santini (PTB). Ele se declarou abismado com a burocracia no Estado brasileiro, que acarretaria a judicialização do processo da saúde e um abismo entre o direito dos cidadãos e sua efetivação. Santini também defendeu a destinação de mais recursos para a saúde.

Política Nacional

A representante do Ministério da Saúde, Pollyanna dos Santos, apresentou a Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras. A portaria, publicada no início desta ano, tem o objetivo de atender o conjunto de 6 a 8% da população que sofre com esse tipo de enfermidades. Estima-se que 80% dos casos sejam de origem genética e os outros 20% tenham causas ambientais.

O trabalho dever ser efetivado por meio de redes, desde a triagem neonatal. “O objetivo é o cuidado integral, mesmo quando não há tratamento medicamentoso.” Ela também aposta no diagnóstico mais rápido das cerca de sete mil doenças raras a partir da implementação da política.

Pollyanna afirmou que diversas ações estão sendo desencadeadas, tanto de atendimento quanto de pesquisa. Ela chamou a atenção para uma consulta pública sobre doenças raras que está sendo realizada. “Queremos saber o que a população pensa.”

A representante da Secretaria da Saúde, Iara Regina Castro, enfatizou que a política no estado deve ser implementada em consonância com a sociedade civil.

O geneticista Roberto Giugliani, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, acredita que o tema das doenças raras deve ser enfrentado pela sociedade. E afirmou que a capital gaúcha tem o mais completo centro de genética da América Latina. “Cerca de 80% das doenças raras são genéticas”, observou. Apesar das 500 consultas disponibilizadas por mês, ele avalia que a sociedade aproveita pouco o serviço. A partir da portaria, ele acredita que o centro deve ampliar sua atuação junto ao sistema de saúde. Ele também defendeu serviços de referência para os médicos que não são especialistas no tema.

A Associação dos Familiares, Amigos e Portadores de Doenças Graves (Afag), em conjunto com outros grupos, está estudando a portaria. Segundo a representante da entidade, Sandra Ortiz, o objetivo é o aperfeiçoamento da matéria “para que seja efetivamente aplicada de maneira produtiva”. Ela sublinhou ainda, a importância de formar e capacitar profissionais.

Doença de Fabry

A representante da Associação Gaúcha de Pacientes e Portadores de Doença de Fabry e Familiares, Adriana Slongo, falou brevemente sobre a enfermidade. A falta de uma enzima desencadeia problemas renais, cardíacos e cerebrais e causa muita dor. A entidade dá assistência a mais de 100 pacientes no estado. Ela criticou a falta de uma efetiva política para pública para doenças raras no país, o que obriga os doentes a procurarem a justiça para obterem tratamento. “Não é só medicação; faltam também locais de atendimento.”

Também participaram do debate Deise Zanin (Afag); o secretário-adjunto da Saúde de Porto Alegre, Jorge Cuty; a representante da Sociedade Brasileira de Genética Médica, Maria Teresa Sanseverino; o promotor de Justiça Mauro Luís de Souza; o representante da Associação dos Amigos, Parentes e Portadores de Ataxias Dominantes, Geraldo Niederauer; o presidente do Hospital Santo Antonio de Tapejara, Sirinei Panizzon, entre outros representantes de órgãos públicos e entidades.

Por: Jorn. Cristiane Vianna Amaral - MTE 8685 | Agência de Notícias ALRS 
 Edição: Sheyla Scardoelli - MTE 6727
Foto: Jorge Fuentes

Feliz Dia do Professor!